21/02/2019 às 12h07min - Atualizada em 21/02/2019 às 12h07min

Casa de fazenda tem estilo colonial e área externa para receber com charme

Com ar colonial, a casa de fazenda da empresária Tatiana Amorim, em Feira de Santana, BA, tem 430 m² de puro sossego. Projeto de Gilberbet e Cristina Chaves

revistacasaejardim.globo.com - Texto Roberto Abolafio Junior – Produção Tiago Cappi
ENTRADA | Branca e com janelas pintadas de azul, a casa avarandada do começo do século 20 ganhou portas pivotantes de vidro e aço corten para integrar melhor o interior e o exterior. No terraço, destaca-se a figura de uma bailarina, comprada na Oficina de Agosto (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
 
Um santuário. Assim os amigos da empresária baiana Tatiana Amorim costumam definir sua fazenda, o Rancho da Vila, localizada em Feira de Santana, BA. E não é à toa. O lugar, por toda a parte, parece transmitir sensação de paz e relaxamento.“Ele conquista todas as gerações, incluindo a turma dos meus filhos, Amanda, de 22 anos, e Arthur, de 12”, conta. Tatiana e o marido, Leandro Reis, adquiriram a propriedade há 13 anos. Contrataram a arquiteta Cristina Chaves e seu pai, o experiente arquiteto Gilberbet Chaves, para projetar uma reforma na casa, que era desconfortável.
 
“Nossa proposta foi concentrar apenas os ambientes sociais e todos os quartos na construção original, englobando, para isso, as varandas já existentes”, lembra Gilberbet, profissional que em 1960 assinou a reforma da casa dos escritores Jorge Amado e Zélia Gattai no bairro do Rio Vermelho, em Salvador. “Já a cozinha foi projetada em uma unidade separada para evitar barulho dentro de casa”, conta Cristina, que também assina os interiores. Tudo ficou com 430 m². Hoje, na área principal, com os ambientes sociais ao centro, sete suítes distribuem-se em um eixo (três para a família, à esquerda, e quatro para convidados, à direita), formando uma espécie de cruz. A única varanda mantida foi a frontal.
 
O coração da casa é a área de refeições, que fica no exterior e tem churrasqueira, forno de pizza e fogão a lenha. “É onde tudo acontece”, comenta a proprietária. Os convidados distribuem-se em torno de uma mesa com 5 metros de extensão para degustar delícias como a moqueca de camarão com mamão verde preparada por Leandro.
 
A construção maior mistura peças atuais, vindas da loja Toque da Casa, importante endereço de decoração em Salvador, pertencente ao casal, e outras antigas. “Gostamos muito do estilo colonial brasileiro”, conta Tatiana. Por isso, não faltam ali peças com esse viés garimpadas em Minas Gerais, além de outras que pertenciam a sua mãe. “Minas e Bahia têm tudo a ver”, considera ela, que, prestes a completar 40 anos, só quer uma coisa: qualidade de vida. Como se vê, é algo facilmente encontrado em meio a essa atmosfera tão particular.
 

Casa de fazenda, em Feira de Santana. Projeto de Gilberbet e Cristina Chaves (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
VARANDA | Equipamentos de montaria ficam dispostos na parede. O piso cerâmico é de uma olaria de Feira de Santana, BA (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
 

Casa de fazenda, em Feira de Santana. Projeto de Gilberbet e Cristina Chaves (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
VERDE | Um maciço de guaimbê ondulado traz vida e contraste ao terraço (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
 

Casa de fazenda, em Feira de Santana. Projeto de Gilberbet e Cristina Chaves (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
LIVING | O antigo banco pertencia à mãe da moradora. Na parede, fotos de Christian Cravo retratam igrejas baianas. Há ainda as imagens de Santo Antônio e de São José. Um pilão de madeira foi usado como vaso (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
 

Casa de fazenda, em Feira de Santana. Projeto de Gilberbet e Cristina Chaves (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
LIVING | O sofá, a mesa de centro Meken, feita por Monica Cintra, os módulos laqueados do estudiobola e a poltrona Butterfly, da Clássica Design, vieram da Toque da Casa. Ao lado do piano, a pintura de Nossa Senhora foi comprada em Tiradentes, MG (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
 

Casa de fazenda, em Feira de Santana. Projeto de Gilberbet e Cristina Chaves (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
PARA JOGOS | Mesa e cadeiras eram da mãe da moradora e ficam na área social. A queijeira, comprada em Minas Gerais, é usada como bar. Na parede, foto de Flavia K, da Zeca Fernandes Galeria de Arte, e Divino Espírito Santo comprado em Prados, MG. Lustre de cristal da manufatura Fratelli Vita (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
 

Casa de fazenda, em Feira de Santana. Projeto de Gilberbet e Cristina Chaves (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
COZINHA | A antiga mesa pintada de azul recebeu tampo de mármore. As bancadas da pia são de jaqueira. Uma olaria de Feira de Santana, BA, forneceu o piso cerâmico e as telhas (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
 

Casa de fazenda, em Feira de Santana. Projeto de Gilberbet e Cristina Chaves (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
ÁREA DE REFEIÇÕES | No exterior, o ambiente traz uma longa mesa de madeira de demolição. Churrasqueira, forno de pizza e fogão a lenha ficam de um lado e, do outro, há um aparador de jaqueira. Uma grande baiana, produzida pelo artesão Naninho, foi comprada em Prados, MG (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
 

Casa de fazenda, em Feira de Santana. Projeto de Gilberbet e Cristina Chaves (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
PROPRIETÁRIA | Sob o pergolado com parreiras, Tatiana Amorim e o cão Tusk aproveitam o banco de ferro da Toque da Casa. As almofadas têm tecidos criados por Attilio Baschera e Gregorio Kramer (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
 

Casa de fazenda, em Feira de Santana. Projeto de Gilberbet e Cristina Chaves (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
QUARTO | Um dos sete dormitórios da casa tem cama com roupa e almofadas compradas em Resende Costa, MG. Arandela Braço, da Luminata (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
 

Casa de fazenda, em Feira de Santana. Projeto de Gilberbet e Cristina Chaves (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
EXTERIOR | Com projeto de Helena de Azevedo Freitas, da Jardim Paulistano, que também assina o paisagismo, a piscina é revestida de pastilhas cerâmicas e rodeada por mármore travertino. Ao fundo, espreguiçadeiras Lazio, da Franccino Giardini (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »