26/06/2019 às 10h09min - Atualizada em 26/06/2019 às 10h09min

Em Paris Jean Wyllys presta entrevista exclusiva para os Jornalistas Livres

De Paris, Bruno Falci, correspondente dos Jornalistas Livres na Europa
EBC
Ex-parlamentar brasileiro, exilado na Alemanha, apresentou-se ao lado de Chico Buarque e vários outros artistas e intelectuais franceses e brasileiros. Nesta oportunidade Wyllys concedeu-nos uma entrevista exclusiva.
A noite de 25 de junho, em Paris, não foi apenas calorosa por causa das altas temperaturas deste início de verão. Contou também com um evento cultural muito importante, ” Cartas a Lula “, realizado no Teathre Monfort, situado no interior do amplo parque Georges Brassens.
Neste grande espetáculo, em defesa da democracia brasileira que se precipita no abismo, foram lidas cartas escritas por pessoas anônimas de diversas origens, direcionadas ao preso politico mais importante do mundo.
As cartas contam a história do Brasil a partir desses testemunhos. Chico Buarque e Jean Wyllys, entre outros, subiram ao palco para dar voz a pessoas que escreveram a Lula através de suas cartas.
Após a realização do evento, saiu do local a Caravana Lula Livre, organizada pelo Comitê Lula Livre de Paris, com o objetivo de percorrer três países. Em Genebra, os participantes serão recebidos pelo Alto Comissariado de Direitos Humanos da ONU, pela Organização Internacional do Trabalho e pelo Conselho Mundial de Igrejas. Em Estrasburgo, serão recebidos pelo Conselho da Europa e, em Bruxelas, pelo Parlamento Europeu.
Em sua entrevista, que antecedeu a realização do espetáculo “Cartas a Lula”, Jean Wyllys fala de seu exílio na Europa, da situação atual do processo politico e das medidas de exceção do governo Bolsonaro. Comenta ainda os vazamentos do The Intercept e as graves irregularidades cometidas pela Lava Jato, sem esquecer de responder as ofensas e acusações de Bolsonaro, por meio de fake news, sobre a venda de de seu mandato de deputado.
Marcia Tiburi também estava presente e prestou depoimento aos Jornalistas Livres , assim como a atriz e cineasta portuguesa, Maria de Medeiros. Ativistas brasileiros que atuam em diversos movimentos na Europa, que lutam pela retorno a democracia no Brasil também cederam entrevista.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »