24/05/2018 às 15h23min - Atualizada em 24/05/2018 às 15h23min

Há 7 bloqueios nas rodovias do Norte Pioneiro devido à greve dos caminhoneiros

Isaele Machado
A greve dos caminhoneiros que teve início em todo país na segunda-feira (21) chega ao 4° dia hoje com manifestações em 25 estados mais o Distrito Federal causando reflexos por todo o país.
Os atos são contra a disparada do preço do diesel que faz parte da política de preços da Petrobras, em vigor desde julho. Segundo os representantes dos transportadores, o custo atual do óleo torna inviável o transporte de mercadorias no país.
Para reduzir o preço do diesel, as entidades querem que o governo estabeleça uma regra para os reajustes do produto - hoje, os preços flutuam de acordo com o valor do petróleo no mercado internacional e a cotação do dólar.
A greve já reflete na falta de combustíveis em diversos postos de abastecimento no Norte Pioneiro. Em Siqueira Campos por exemplo, no Posto Realize os combustíveis acabaram no início da tarde de ontem (23) e no Auto Posto Bom Jesus acabou hoje, o Posto Cristo Rei em Siqueira Campos conta apenas com o Diesel, os demais postos no município também registram a falta.
Segundo informações existem 7 pontos de bloqueio nas rodovias do Norte Pioneiro, em Santo Antônio da Platina, Ibaiti, Santa Mariana, Andirá, Jaboti, Pinhalão e Siqueira Campos.
Em Siqueira Campos os manifestantes se organizaram para o bloqueio na manhã de hoje.
 
Reflexos da greve
Com os bloqueios em Jaboti e Pinhalão os caminhões que transportam o lixo de Siqueira Campos para o aterro em Japira estão impedidos de voltarem para Siqueira Campos. Por esta razão a coleta de lixo não foi feita nesta quinta-feira (24).
A Prefeitura Municipal de Andirá decretou estado de calamidade pública no município enquanto perdurar a dificuldade de abastecimento de combustíveis e alimentos.
 Os Correios decidiram suspender temporariamente as postagens das encomendas com dia e hora marcados (Sedex 10, 12 e Hoje).
“Tendo em vista comprometer a distribuição, também haverá o acréscimo de dias no prazo de entrega dos serviços Sedex e PAC, bem como das correspondências enquanto perdurarem os efeitos desta greve”, diz a empresa em comunicado oficial.
Quem organiza?
A proposta de greve começou a circular de forma espontânea em redes sociais e grupos de WhatsApp de caminhoneiros e não há uma organização como líder, porém há entidades envolvidas como a Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), que congrega a maioria dos sindicatos de motoristas autônomos.
Juntaram-se aos protestos a Associação Brasileira de Caminhoneiros (Abcam) e a União Nacional dos Caminhoneiros do Brasil (Unicam).
No dia 16 de maio, a CNTA apresentou um ofício ao governo federal pedindo o congelamento do preço do óleo diesel e a abertura de negociações, mas foi ignorada. No dia 18 (última sexta-feira), a organização lançou um comunicado em que mencionava a possibilidade de paralisação a partir de segunda-feira, o que de fato ocorreu.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »