17/05/2022 às 10h51min - Atualizada em 17/05/2022 às 10h51min

​Com novas e antigas preocupações, a área da Saúde em Siqueira Campos continua se empenhando em prol da população

Assessoria
Divulgação
Com a significativa baixa de casos de Covid-19 em Siqueira Campos e em todo Brasil, possibilitando inclusive a não obrigatoriedade do uso de máscaras, os setores da saúde conseguem voltar o foco para outros problemas que vêm ganhando espaço.
 
A mais séria delas se trata do mosquito aedes aegypt, desde o dia 19 de abril, o Estado do Paraná confirmou a condição epidêmica de dengue por conta dos casos prováveis e confirmados, que estavam acima do esperado para o período.
 
Diante deste cenário e do aumento dos casos, nosso município tem intensificado ações de vigilância e também muita atenção e agilidade no bloqueio quando surge casos suspeitos. O trabalho é conjunto, realizado lado a lado com o atendimento na linha de frente, a atenção primária. Recentemente foi realizada uma capacitação específica com os técnicos da atenção primária e os agentes de endemias, na Santa Casa de Siqueira Campos.
 
O bloqueio tem sido feito repetidamente quase que semanalmente em várias áreas da cidade onde são encontrados um número maior de focos do mosquito responsável pela transmissão. Inclusive, recentemente a vigilância esteve em fábricas da cidade e bairros rurais, para dar orientações mais práticas e averiguar possíveis focos de dengue. 
Após constatada a presença do inseto, o trabalho fica por conta de uma equipe de pulverização, que lançam inseticidas pelo ar ao redor dos locais, para reduzir o risco de transmissão. Neste ano de 2022, a epidemiologia, confirmou 3 casos de pessoas adoecidas com dengue, além de alguns outros em investigação.
 
Outro foco da saúde é a vacinação, após se mostrar na prática extremamente eficiente contra a Covid-19, as campanhas continuam.
 
Postos de saúde e o Posto Central tem realizado “Dias D” para vacinação contra a gripe influenza e a Covid-19, que neste momento está aplicando uma 4ª dose nos grupos prioritários.
Atualmente, de acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde, mais de 18 mil pessoas (91,3% da população vacinável) estão com o ciclo completo, e destes, mais da metade tomou a dose de reforço. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »