13/07/2020 às 13h29min - Atualizada em 13/07/2020 às 13h27min

Policiais que agrediram comerciante negra em SP foram afastados, diz Dória

Vítor d Avila - jornalcn.com.br
Ofluminense

O governador do Estado de São Paulo, João Dória, afirmou que os policiais militares envolvidos na agressão a uma mulher negra, no bairro de Parelheiros, na cidade de São Paulo, foram afastados de suas funções e responderão pelo ato. A declaração foi dada por meio das redes sociais do mandatário, na noite deste domingo (12).

Dória ainda afirmou que a ação causa repulsa e a classificou condutas do tipo como inaceitáveis. O governador ainda complementou pontuando que os policiais envolvidos não honram a qualidade da Polícia Militar paulista. Veja a declaração de Dória na íntegra:

"Os policiais militares que agrediram uma mulher em Parelheiros, na Capital de SP, já foram afastados e responderão a inquérito. As cenas exibidas no Fantástico causam repulsa. Inaceitável a conduta de violência desnecessária de alguns policiais. Não honram a qualidade da PM de SP", disse.

Relembre o caso

Uma mulher de 51 anos foi agredida durante abordagem policial na capital paulista. Em vídeo, exibido pela TV Globo, a mulher, que trabalha como comerciante, está deitada no chão enquanto um policial pisa em seu pescoço para imobilizá-la.

O caso aconteceu no dia 30 de maio e a razão para a abordagem seria a proibição do funcionamento de bares na cidade àquela época. A vítima estava com seu estabelecimento aberto e teria sido denunciada por vizinhos.

Os policiais envolvidos alegaram que houve tentativa de agressão com uma barra de ferro, por parte da comerciante, que nega as acusações. A vítima ainda teve uma perna lesionada e chegou a ficar presa por um dia. O Boletim de Ocorrência foi registrado pelos policiais como desacato, lesão corporal, desobediência e resistência.

Comparações com George Floyd

O caso gerou comoção nas redes sociais por sua similaridade com a morte do segurança americano George Floyd, em Minneapolis, nos Estados Unidos, no dia 25 de maio. Ele morreu sufocado após ficar mais de 8 minutos deitado no chão, enquanto um policial estava ajoelhado sobre seu pescoço. O motivo da abordagem seria uma suposta compra realizada pelo americado, utilizando uma nota falsa.

"Sabe o que me deixa muito mais revoltada nessa notícia?! A polícia sabe muito bem do que anda rolando. Sabe sobre George Floyd, sobre as manifestações e que ele foi covardemente assassinado por sufocamento. E aí um policial vai e reproduz o mesmo ato", disse uma internauta.A morte de Floyd, que tinha 46 anos de idade, gerou protestos por todo o planeta e fortaleceu o movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam, em Português). O objetivo do movimento é combater o racismo e a violência em abordagens policiais.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »