31/03/2020 às 11h26min - Atualizada em 31/03/2020 às 11h26min

Santos discorda de redução salarial e conta com a CBF para honrar compromissos

Lucas Musetti Perazolli
Gazeta Esportiva
Ivan Storti

Santos anunciou férias coletivas de jogadores, comissão técnica e funcionários de 1 a 20 de abril por conta do novo coronavírus. E está preocupado com o pagamento dos salários.

O Peixe pagará as férias, a princípio, até o quinto dia de maio e pode parcelar os valores. O terço adicional precisa ser depositado até o fim de 2020.

 

Sem concordar com redução nos salários – medida adotada no Atlético-MG, por exemplo -, o Alvinegro quer ajuda da CBF caso seja necessário.

 

“Sou contra propor redução salarial para quem gera riqueza ao Santos. Existe diferença, mas minha opinião é essa. Jogador com contrato vigente tem que receber integralmente. Quem parou (CBF) que se responsabilize ou que subsidie ou financie. Santos às duras penas honra com seus compromissos”, disse Pedro Doria, membro do Comitê de Gestão, à Rádio Ômega.

 

As férias podem ser estendidas de acordo com a pandemia da Covid-19. A última partida foi contra o São Paulo, em 13 de março, e não há previsão da retomada das competições no futebol brasileiro e nem se o Campeonato Paulista continuará.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »