27/03/2020 às 10h28min - Atualizada em 27/03/2020 às 10h28min

Quase 300 policiais militares com suspeita de coronavírus

Uma enfermeira do Hospital Central da Polícia Militar testou positivo e está em estado grave

Ofluminense

O número de policiais militares sendo acompanhados com suspeita de coronavírus no Estado do Rio é de 297. Além dos suspeitos, uma confirmação: uma enfermeira lotada no Hospital Central da Polícia Militar (HCPM). Ela está internada em estado grave na própria unidade, que é a recordista no número de suspeitos: 22.

No 12º BPM (Niterói), há cinco casos suspeitos. De acordo com o comando do batalhão, os militares, a princípio, possuem um diagnóstico de gripe, foram liberados pelo médico da PM e não fizeram o teste para o coronavírus.

No entanto, por questões de segurança, eles estão em quarentena. Os outros batalhões da região, o 7º BPM (São Gonçalo) e o 35º BPM (Itaboraí) possuem, respectivamente, três e cinco casos suspeitos.

O deputado estadual Coronel Salema apresentou nesta quarta-feira (25) projeto de lei que determina que agentes de Segurança Pública e da área de Saúde devem ser submetidos ao teste que detecta se há contaminação pelo coronavírus, mesmo que estejam assintomáticos.

O objetivo é evitar que possam contaminar seus familiares durante a pandemia de Covid-19, pois mesmo os que não desenvolvem a doença podem transmiti-la e esses profissionais estão mais expostos a esse risco que qualquer outra categoria.

Logo depois do HCPM, estão a Policlínica da Polícia Militar de Cascadura e o Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE), com 11 suspeitas em cada. Com 10 casos suspeitos (cada) estão o 20°BPM (Mesquita) e as Rondas Ostensivas e Controle de Multidões (RECOM).

No 4°BPM (São Cristóvão) - que tem um policial com suspeita de coronavírus -, a equipe da Reserva de Material Bélico (Rumb) providenciou sabão líquido e orienta os PMs na lavagem das mãos.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »