04/02/2020 às 11h59min - Atualizada em 04/02/2020 às 11h59min

Mais de 50 celulares furtados durante bloco em Niterói

Foliões formaram uma enorme fila na delegacia do Centro para registrarem os casos de furtos ocorridos no evento

Vítor d Avila
Ofluminense
Marcelo Feitosa

Cerca de 50 pessoas se reuniram na manhã desta segunda-feira (3) para registrar casos de furtos de celulares na 76ª DP (Centro), em Niterói. Casos aconteceram durante o Bloco Sambaí, que teve concentração na Praça da Concha Acústica, na tarde de domingo (2).

De acordo com a polícia, só foram recuperados cerca de dez aparelhos. Policiais civis orientaram os foliões a realizar o registro pela internet, fornecendo os dados sobre o celular furtado, como o número único de identificação, o Imei.

Uma professora de Educação Física de 24 anos, que preferiu não ter o nome divulgado, mora no Rio de Janeiro e veio à Niterói para curtir o bloco, mas voltou para casa sem o celular. Além dos furtos, ela chamou atenção para as brigas generalizadas que aconteceram no decorrer do evento.

"Foi chato porque a gente apanhou. Jogaram spray de pimenta e a gente passou muito mal. Fora o prejuízo das pessoas que precisam trabalhar com o celular. O que mais teve foi briga. Não vimos nenhuma segurança, a gente só levou prejuízo e teve gente que passou mal por causa da confusão em si", relatou a professora.

Segundo as vítimas, os furtadores, em geral, se aproveitavam de momentos de tumulto ou agiam de forma sorrateira para levar o celular das vítimas. O estudante Caio Santos, de 17 anos, estava socorrendo uma amiga que havia passado mal quando teve seu celular levado, sem que percebesse.

"Estava muito cheio, aí minha amiga ficou tonta. Ela mora no Rio do Ouro e falei 'deixa que te levo'. Eu estava com o celular no lado direito [da bermuda] e a carteira do lado esquerdo. Dei a mão para ela e fui indo. Quando cheguei ao terminal e coloquei a mão no bolso não senti o telefone", disse Caio.

Os criminosos abusam da criatividade. Um estudante de direito, de 20 anos, teve o celular furtado enquanto os ladrões aparentemente faziam uma brincadeira com ele. "Eu estava passando na fila, aí chegaram dois meninos me encostando de brincadeira, eu fui zoando e quando eu coloquei a mão no bolso os caras foram embora e levaram o celular".

Durante o evento, um suspeito de furto foi linchado por foliões e em seguida detido pela polícia. Além dele, um menor de idade foi apreendido, durante o evento por estar praticando o mesmo crime.

De acordo com o 12º BPM (Niterói), responsável pela segurança do bloco, uma das equipes foi comunicada que um homem de 48 anos estava sendo atendido pela equipe médica do evento após ser agredido por frequentadores que o flagraram furtando celulares. Um casal o reconheceu como autor de furtos.

Em seguida, o suspeito foi conduzido ao Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal) no Fonseca, Zona Norte da cidade, para dar sequência ao atendimento. A ocorrência foi registrada e o homem responderá em liberdade. A Polícia Militar informou que ele será indiciado como possível autor de furto.

No mesmo bloco, PMs que estavam em patrulhamento, suspeitaram de um menor de idade. Ele foi abordado e confessou estar com vários aparelhos celulares. Ele foi revistado e os aparelhos que teriam sido furtados, além de documentos de possíveis vítimas, foram encontrados dentro de uma bolsa que o suspeito carregava.

O jovem, que tem 17 anos, foi conduzido à 76ª DP (Niterói), onde confessou que estava furtando junto com outros comparsas, que não foram identificados. Os aparelhos foram recuperados e serão entregues aos donos. O menor ficou apreendido.

Em nota, a Secretaria Municipal de Ordem Pública informou que a Guarda Municipal de Niterói disponibilizou, neste fim de semana, 62 agentes para dar apoio a área de desfile, concentração e dispersão do bloco Sambaí, na Concha Acústica, prevendo um número de cerca de 5 mil participantes de acordo com público estimado informado pelos organizadores do bloco.

Ainda de acordo com a Prefeitura de Niterói, os guardas municipais fizeram intervenções em quatro situações quando ocorreram brigas, dispersando os envolvidos.

Um homem detido pelos integrantes da Guarda foi levado para a 76ª DP (Centro). Na delegacia, ele foi reconhecido por vítimas como o responsável pelo furto de celulares.

O subinspetor Adenilson, responsável pela logística da Guarda Municipal, explica que os agentes atuaram dentro todos os padrões e protocolos que devem ser utilizados em eventos deste porte, durante toda a permanência do bloco até a dispersão.

“O trabalho da Guarda Municipal é voltado para o ordenamento urbano. Coibimos o uso de carros que utilizavam aparelhos de som, o que é proibido de acordo com o Código de Postura, e fizemos um cordão de isolamento na dispersão, para facilitar a saída das pessoas. A Guarda conteve participantes mais exaltados e efetuou uma prisão”, explica o subinspetor.

Corpo encontrado - Durante o horário em que o bloco desfilava, o corpo de um homem, que aparentava 20 anos, foi encontrado na Rua Dr. Celestino, no Centro da cidade, a pouco mais de 1 km do local onde estava acontecendo o evento.

Segundo a perícia, a vítima estava com uma marca de tiro no abdômen. O caso foi registrado pela Delegacia de Homicídios (DH) de Niterói, que irá investigar as circunstâncias da morte do rapaz.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »