23/01/2020 às 12h02min - Atualizada em 23/01/2020 às 12h02min

Família pede justiça por vendedor esfaqueado pela companheira em SG

Crime aconteceu no último sábado (18), no bairro Boaçu. Namorada alegou legítima defesa

Vítor d Avila
Ofluminense
Alex Ramos

A família do vendedor ambulante Michael Oliveira Fernandes, de 28 anos, pede justiça pelo rapaz, que está internado em estado grave no CTI do Pronto Socorro de São Gonçalo (PSSG) após ser esfaqueado no peito e na coxa. A principal suspeita é sua companheira, com quem ele morava junto há cerca de um ano, no bairro do Boaçu, em São Gonçalo.

Michael foi atacado na tarde do último sábado (18), por volta de 16h30. A versão de sua família e que ele estaria tentando terminar o relacionamento, mas a companheira não aceitava. No momento em que ela estaria desmontando um móvel, usando uma chave de fenda e uma faca, uma discussão iniciou e ela teria o atacado.

Segundo policiais civis, a moça disse, em depoimento prestado no dia da agressão, que agiu em legítima defesa, e que o ferimento no peito de Michael foi acidental. Em sua versão, ela o teria ameaçado com a arma branca quando o rapaz teria inclinado o corpo para frente, ocasionando a perfuração em seu peito.

Familiares da vítima disseram que Michael, que já teve outros dois relacionamentos anteriores e possui três filhos (um com a primeira companheira, dois com a segunda) não possui histórico de violência doméstica. As mães de seus filhos o retratam como uma pessoa dócil e presente na vida das crianças.

“Ele é amoroso e atencioso com os filhos. Mesmo separados, ele sempre está presente na vida dos filhos”, disse a ex-companheira de Michael, Hellen Amaral, de 27 anos.

A mãe dele, Cristina Lima, de 44, esteve junto com outros familiares, na manhã desta quarta-feira (22), na sede da 73ª DP (Neves), que está investigando o caso. Ela foi convocada pela equipe da distrital para prestar depoimento. Cristina afirmou que o filho tem bom relacionamento com a família da atual companheira.

“Ele sempre foi um filho carinhoso e se dá bem até com a família dela [da atual companheira]. Ele tem muitos amigos e é presente na vida dos filhos”, afirmou a mãe da vítima que, assim como os cerca de dez familiares que estavam na porta da distrital, vestia uma camisa com a foto de Michael acompanhada da palavra “justiça”.

Após o episódio, Michael foi socorrido pela própria companheira e um vizinho ao PSSG, onde está internado em coma induzido e respira com a ajuda de aparelhos e teve o coração perfurado pela facada. A mulher realizou exame de corpo de delito. No entanto, o laudo afirma que “não foi evidenciado lesões de importância médico-legal”.

A delegacia de Neves registrou o caso como crime de lesão corporal. Todavia, caso seja apurada a responsabilidade da companheira de Michael, ela pode responder pelo crime de tentativa de homicídio. Até o momento, não houve pedido de prisão. A distrital continua as investigações a fim de esclarecer o caso.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »