08/10/2019 às 16h22min - Atualizada em 08/10/2019 às 16h22min

Homem de 79 anos pode ser o maior 'serial killer' de todos os tempos dos EUA

Samuel Little, preso desde 2012, confessou o assassinato de 93 vítimas, e o FBI diz considerar que os relatos são críveis.

g1.globo.com - Associated Press
Imagem de Samuel Little em 26 de novembro de 2018 — Foto: Mark Rogers/AP
Um homem de 79 anos que está preso afirma ter matado mais de 90 mulheres nos Estados Unidos e é agora considerado o serial killer mais letal na história do país, de acordo com o FBI.
 
Samuel Little, que está detido desde 2012, disse a investigadores no ano passado que ele é responsável por cerca de 90 assassinatos entre 1970 e 2005.
 
Em um comunicado divulgado no domingo (6), o FBI anunciou que os analistas de crimes federais consideram que todas as confissões são críveis, e eles já identificaram 50 delas até o momento.
 
Os investigadores também deram novas informações e detalhes em cinco casos nos estados da Florida, Arkansas, Kentucky, Nevada e Louisiana.
 
O homem de 79 anos tem múltiplas penas perpétuas na Califórnia. Ele afirma ter estrangulado 93 vítimas, quase todas mulheres.
 
Algumas estavam nas margens da sociedade. Muitas mortes foram consideradas originalmente como overdoses ou atribuídas a acidentes ou causas indeterminadas. Alguns corpos nunca foram encontrados.
 
O FBI mostrou 30 desenhos de algumas de suas vítimas –retratos coloridos feitos pelo próprio Little na cadeia. A maioria é de mulheres negras.
 

Desenhos feitos por Samuel Little, o homem de 79 anos que afirma ter matado 90 mulheres — Foto: Reprodução/FBI
Desenhos feitos por Samuel Little, o homem de 79 anos que afirma ter matado 90 mulheres — Foto: Reprodução/FBI
 
A agência ainda forneceu vídeos feitos durante as entrevistas na cadeia.
 
Confissões em vídeo
Ele descreve a maneira como ele conversou com uma mulher que ele estrangulou em 1993, e como ele a jogou de um barranco em uma estrada.
 
“Eu ouvi um ruído e isso significava que ela ainda estava rolando”, diz ele.
 
Em outra cena, ele descreve uma vítima em Nova Orleans. “Ela era bonita. Pele marrom cor de mel claro”, afirma, com um pequeno sorriso no rosto.
 
“Ela era alta para uma mulher. Lindo corpo e amigável.”
 
Isso teria acontecido em 1982, e eles se conheceram em um clube. Ela foi embora com ele no carro dele, um Lincoln, e eles estacionaram perto de um pântano.
 
“Essa foi a única que eu matei por afogamento”, ele disse.
 
Crimes sem resolução
Investigadores no país inteiro ainda tentam juntar as peças de suas confissões com restos mortais não identificados e casos abertos do passado.
 
Em agosto, ele se declarou culpado de ter matado quatro mulheres no estado de Ohio.
 
Ele foi condenado na Califórnia de três assassinatos em 2013, e admitiu outro crime semelhante no ano passado no Texas.
 
Little, que muitas vezes adotava o nome Samuel McDowell, cresceu com a avó na cidade de Lorain, no estado de Ohio.
 
Ele era descrito por investigadores como um ex-boxeador que atravessava os Estados Unidos como um predador de viciados em drogas, mulheres vulneráveis e outras potenciais vítimas.
 
Autoridades do Tennesse disseram na segunda (7) que uma mulher chamada Martha Cunningham provavelmente é uma delas.
 
Causas naturais
O jornal “The Knoxville News Sentinel” publicou um texto em dezembro em que um investigador de caso antigos identificou a pessoa que Little chamava de Martha.
 
O corpo da mulher foi encontrado na região em uma área verde em 1975.
 
O corpo de Cunningham foi encontrado por caçadores no dia 18 de janeiro 1975.
 
Ela estava com marcas e nua da cintura para baixo, com a meia-calça em torno dos joelhos. A bolsa e joias haviam sumido.
 
O corpo dela, aparentemente, havia sido arrastado e jogado atrás de um pinheiro, disseram as autoridades na época.
 
Apesar dessa evidência, os detetives atribuíram a morte a causas naturais um dia depois de encontrarem o corpo.
 
O relatório do médico legista apontava a causa da morte como desconhecida.
 
Cunningham era uma cantora e pianista que cresceu se apresentando com seus pais e seus seis irmãos mais novos em um grupo gospel.
 
As autoridades do Tennessee chegaram a deter Little 19 anos depois do corpo de Cunningham ter sido encontrado.
 
Little foi condenado por furto em 1994 nesse mesmo estado. Ele ficou 90 dias na cadeia.
 
Outros 'serial killers'
Ted Bundy confessou 30 homicídios entre 1974 e 1978. John Wayne Gacy matou cerca de 33 meninos e adolescentes nos anos 1970.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »